top of page
  • Foto do escritorValdemir Pires

Manoel Cunha: Cartões Postais do Coração


Imagem: Aiony Hast, Unsplash


Manoel Cunha, um brasileiro destemido e sonhador, encontrou-se perdido nas ruas movimentadas de Pequim, a capital da China. As luzes cintilantes, os aromas exóticos e a língua desconhecida o envolviam como um véu misterioso. Ele não estava ali por escolha, mas por uma série de eventos que o levaram a essa metrópole distante.

Manoel era um homem simples, com olhos castanhos que guardavam histórias de saudade e esperança. Ele havia deixado para trás sua cidade natal, Recife, em busca de uma vida melhor. No entanto, a sorte não estava ao seu lado. Seu diploma em Economia não valia muito na terra dos dragões e das dinastias.

Desempregado e com poucas economias, Manoel encontrou uma maneira de sobreviver: vendendo cartões postais nas esquinas movimentadas de Beijing. Ele se tornou um observador silencioso da cidade, capturando imagens de templos antigos, arranha-céus modernos e pessoas apressadas. Seus cartões postais eram pequenas janelas para o mundo, oferecendo aos turistas uma visão fugaz da China.

Foi em uma tarde ensolarada que Manoel viu Ling Wei, uma jovem de beleza etérea. Ela usava um vestido de seda azul e carregava consigo uma aura de riqueza e privilégio. Ling Wei era filha de um empresário bem-sucedido, e sua vida era um contraste gritante com a de Manoel.

Manoel não sabia como, mas seu coração se apaixonou por Ling Wei. Ele a via todos os dias, quando ela saía de sua limusine e entrava em um prédio de vidro espelhado. Ele imaginava conversas com ela, risadas compartilhadas e um futuro juntos. Mas Ling Wei nunca olhava para os cartões postais que ele vendia. Ela estava em um mundo diferente, um mundo de luxo e privilégio.

Manoel escreveu poemas secretos para Ling Wei, escondidos atrás das imagens de Pequim. Ele descrevia o cheiro das flores de cerejeira, o som dos sinos dos templos e a textura das folhas de chá. Mas Ling Wei nunca soube da existência dessas palavras.

Os dias se transformaram em semanas, e Manoel continuou sua rotina. Ele vendia cartões postais, assistia ao pôr do sol sobre a Muralha da China e sonhava com Ling Wei. Ele sabia que era um amor impossível, mas seu coração teimava em bater por ela.

Um dia, quando o inverno estava prestes a se despedir, Ling Wei finalmente olhou para Manoel. Ela comprou um cartão postal com a imagem da Cidade Proibida e sorriu. Seus olhos encontraram os dele por um breve momento, e Manoel sentiu que o mundo inteiro parou.

"Obrigada", disse Ling Wei, e seu sorriso se desfez no ar gelado.

Manoel guardou aquele momento em seu coração, como um cartão postal especial. Ele sabia que Ling Wei nunca seria sua, mas o amor que ele sentia por ela era real. E assim, nas ruas de Beijing, Manoel continuou a vender cartões postais, capturando imagens de uma cidade que o ensinou sobre amor, perda e esperança.


(Este conto foi escrito pelo Copilot da Microsoft sob a seguinte demanda: Escreva um conto breve tratando da vida de Manoel Cunha numa grande cidade da China, tendo se apaixonado por uma moça rica que não lhe corresponde, estando desempregado a vender cartões postais nas ruas de Beijing. IMPRESSIONANTE!)

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page